Tudo bem. A culpa foi minha.

Ninguém acreditou em mim.

Os vizinhos tiveram que chamar a polícia.

Eu não tenho pra onde ir.

Eu esperei ele mudar. Faz 11 anos que eu estou esperando.

Começou quando eu engravidei do meu primeiro filho.

Quando ele bebe, ele vira outra pessoa.

Não contei pra ninguém.

Se alguém encostar em mim de novo, juro que eu mato.

Minha mãe me perguntou o que eu fiz pra provocar isso.

Imagina, eu caí de bicicleta.

Ele me prendeu em casa, eu não podia sair.

Tenho medo de sair na rua, de pegar ônibus.

Eu ainda amo. Não consigo separar as coisas.

Eu cheguei a ficar em coma.